rede de gás zeus do brasil

Sua rede de gás está dentro do prazo de validade?

Os recorrentes sinistros em condomínios do Brasil envolvendo botijões e redes de gás fez acender o alerta vermelho para como andam as instalações em condomínios, restaurante e empresas que utilizam esta fonte de energia.

Sistemas mal cuidados ou antigos e sem manutenção representam sérios riscos para o estabelecimento e, em alguns casos, para as construções vizinhas. O vazamento, por exemplo, pode causar sérias explosões, como as que têm sido noticiadas recentemente. Veja algumas dicas que poderão fazer a diferença entre a segurança e a tragédia:

  • É preciso manutenção periódica. O Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) – válido por dois a três anos – é obtido após vistoria técnica que atesta o perfeito funcionamento do sistema;

  • Nas manutenções são vistoriadas as tubulações existentes, as modificações realizadas no ambiente onde passa a rede de gás e os locais de armazenamento (em caso de GLP). Também são avaliados equipamentos, como válvulas de bloqueio e reguladores de pressão;

  • Em alguns casos é preciso efetuar troca de peças. Condomínio com sistemas mais antigos, em geral, recomenda-se a troca por tubos de cobre (conexões soldadas, sem presença de rosca). É comum encontrar pequenos vazamentos em sistemas muito antigos ou mal cuidados, sobretudo nas conexões;

  • Válvulas e registros devem ser constantemente inspecionados. Em geral, estes equipamentos têm a vida útil de 5 anos. Ficar atento a este prazo é de suma importância, porque após o prazo estipulado pelo fabricante, seu estabelecimento corre sério risco;

Levando em consideração todos estes aspectos, você poderá desfrutar com tranquilidade e segurança mais este recurso disponibilizado pelo seu condomínio.

A Zeus do Brasil conta com uma linha completa de conexões, registros, medidores, tubos de cobre e demais acessórios que compõem a rede de gás.

acionador manual

6 dicas para manutenção periódica do alarme de incêndio

É muito bom saber que você se preocupa com a segurança e proteção de todos que utilizam seu estabelecimento ou condomínio. Adquirir e instalar um sistema  seguro e confiável de alarme de incêndio garante a preservação do patrimônio e da vida humana. No entanto, é importante observar alguns detalhes a respeito da manutenção de seu sistema de detecção e alarme de incêndio, pois assim você evitará futuras dores de cabeça.

Por isso fique atento a estes pequenos detalhes que com certeza irão lhe ajudar a preservar em perfeito estado seu sistema de alarme de incêndio:

  • Verifique periodicamente a supervisão de cada circuito;

  • Verifique o estado físico da central de alarme de incêndio e de seus componentes periféricos;

  • Examine periodicamente a carga das baterias que alimentam a central;

  • Aferir o funcionamento de todos os acionadores manuais do sistema a cada 3 meses;

  • Ensaio funcional de todos os sinalizadores a cada 3 meses;

  • Examinar os danos na rede de eletrodutos ou fiação.

Com estas dicas simples, você irá garantir a preservação do seu material adquirido, e além de tudo, garantirá uma economia por não necessitar de reparos mais severos a todo o sistema de alarme.

Caso observe alguma movimentação anormal de sua central de alarme de incêndio, entre em contato conosco. Podemos providenciar a visita técnica de um profissional capacitado a lhe orientar e resolver seus problemas.

Conheça nossa linha completa de sistemas de detecção e alarme contra incêndios convencional ou endereçável em www.zeusdobrasil.com.br

extintores-zeus

Como garantir que o extintor foi recarregado?

Todos os anos seus extintores devem passar por testes, onde devem ser observados:

  • a carga do aparelho;

  • teste de pressão de trabalho;

  • tratamento da chapa;

  • remoção da tinta e repintura da peça.

Pois é, se atentar a estes detalhes é de suma importância, entretanto como garantir que estes passos serão de fatos executados?

Mas saiba que é possível sim monitorar se as manutenções solicitadas a seus extintores estão sendo de fato realizadas.

Para garantir que seu extintor realmente passou por todos os testes e foi recarregado, todos os anos deve ser substituídos lacres coloridos que ficam estrategicamente instalados abaixo do medidor de pressão.

Para se trocar este anel, é obrigatório a remoção do medidor, e por consequência, uma nova carga se faz necessária.

As cores dos lacres já estão definidas até o ano de 2018, são elas:

janeiro/2015 à dezembro/2015 – Azul

janeiro/2016 à dezembro/2016 – Preto

janeiro/2017 à dezembro/2017 – Laranja

janeiro/2018 a dezembro/2018 – Púrpura

Todo extintor que for para a recarga deverá voltar de lá com a cor do anel referente a usada no ano correspondente. As novas cores após esta data ainda serão definidas pelo INMETRO.

Fique alerta para não ser enganado por empresas não idôneas na hora da recarga. 😉

Veja a linha completa de extintores em www.zeusdobrasil.com.br.

filtros-quimicos-zeus

Filtros químicos no combate a um inimigo oculto

O sistema respiratório é a principal via de contato com substâncias perigosas. Apesar de possuir defesas naturais, o grau de tolerância do homem, à sua exposição a gases tóxicos, vapores e partículas é limitado. Algumas substâncias podem prejudicar, ou mesmo destruir, partes do trato respiratório, enquanto que outras podem ser absorvidas pela corrente sanguínea, gerando danos aos demais órgãos do corpo humano.

Os riscos respiratórios são todas as alterações das condições normais do ar atmosférico, que interferem no processo da respiração, gerando, consequentemente, danos ao organismo humano.

Acredite, nas minas romanas do século I, a bexiga animal foi muito utilizada como um filtro protetor contra poeiras pelos mineradores.

Posteriormente, devido ao grande avanço tecnológico durante a Primeira Guerra Mundial, foram desenvolvidos vários equipamentos de proteção respiratória, para fazer frente aos gases tóxicos que eram utilizados com fins bélicos.

Cartuchos ou filtros químicos.

Muitos mitos e dúvidas cercam a utilização dos filtros químicos. Mitos difundidos por pessoas que não possuem sequer algum conhecimento a respeito destes equipamentos essenciais a saúde dos colaboradores que necessitam sua utilização.

Mas para começar a desmistificar este equipamento e torná-lo tão simples de se utilizar como qualquer outro EPI, vamos abordar de forma clara alguns tópicos que mostrarão passo a passo como conhecer um filtro e eliminar de vez a imagem do bicho de sete cabeças.

Resumindo de maneira simples, todas as vezes que entramos em contato com substâncias químicas ou orgânicas que exalam um cheiro forte e faz com que você sinta mal estar, ânsia de vômito, tontura entre outros sintomas, é sinal que você deveria já estar utilizando um filtro químico para proteção. Pois é nestes casos que encontramos sua utilidade. Eles são compostos em geral de carvão ativado.

Classificação dos filtros
A “ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas” estabelece os tipos de filtros químicos, de acordo com o contaminante gasoso contra o qual se deseja proteção, conforme descrito a seguir:

Filtros para Vapores Orgânicos: são indicados contra certos vapores orgânicos, conforme especificação do fabricante;
Filtros para Gases Ácidos: são indicados contra certos gases e certos vapores ácidos inorgânicos, conforme especificação do fabricante, excluindo-se o Monóxido de Carbono;
Filtros para Amônia: indicados contra Amônia e Compostos Orgânicos de Amônia, conforme especificação do fabricante;
Filtros especiais: indicados contra contaminantes específicos, não incluídos nos grupos anteriores, tais como Mercúrio, Cloreto de Vinila, Fosfina, Gás Sulfídrico, Ácido Cianídrico, Óxido de Etileno, Monóxido de Carbono e Defensivos Agrícolas.

Utilizar o filtro correto para cada especificação de gás é benéfico tanto para a saúde do usuário como para prolongar a vida útil do filtro. Pois para cada modelo de filtro é empregado o uso de carvão com porosidades diferentes, para que se consiga capturar com mais eficiência determinadas substâncias.

Vida útil

Os filtros apresentam uma capacidade limitada de retenção de contaminantes. Mas fica muito difícil estipular um prazo de validade para o filtro, pois deve se levar em conta uma séria de fatores que podem aumentar ou diminuir a vida útil do filtro.

Esta vida útil depende de muitos parâmetros como: qualidade e quantidade de carvão na máscara, condições de exposição ao agente químico, consumo de ar pelo usuário, temperatura e umidade relativa do ar. Por isso não é fácil estimar a vida útil de um filtro químico.

Finalmente, vale lembrar, que todos os equipamentos de proteção individual devem ser:

  • Inspecionados, periodicamente;
  • Guardados, em locais de fácil acesso;
  • Armazenados adequadamente, de modo a evitar o seu dano, inclusive acidentalmente;
  • Repostos, sempre que necessário.

O objetivo deste post não é almejar que daqui saiam mestres e doutores em segurança no trabalho. Antes, queremos levar a todos os leitores o máximo de conhecimento necessário e de maneira simples de ser compreendida e fácil de ser retransmitida.

Ficamos no aguardo de seu comentário, suas críticas, suas opiniões. Pois são as dúvidas que geram as respostas.

Sugestões de posts também serão bem vindas.

Conheça nossa linha completa de equipamentos de proteção individual em www.zeusdobrasil.com.br